terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Gateiras atraem gateiras, onde quer que estejam

Estava no hospital, acompanhando Mamãe, quando ouvi conversas da paciente ao lado e sua mãe. Pensei comigo: estão falando de um gato. E espichei o olho em direção às "vizinhas", que percebendo o meu interesse, começaram a contar sobre o Titico, um gato preto de olhos verdes que elas adotaram há anos, é o xodó de toda a família, etc etc, aquela história que todas nós conhecemos muito bem.
Contei também dos meus peludos. Contaram de outros peludos que já tiveram. Contei das artimanhas do Willy para nos adestrar. Contaram da forma carinhosa do Titico de pedir comida de madrugada, batendo a patinha no rosto de um humano até que ele acorde. Contei da mania do Mel de brincar com tampinhas de pia.
E a conversa foi se prolongando, são tantas as histórias do dia-a-dia e tantas as declarações de amor aos bigodes. Quem tem gato gosta de prosa.
E nesta situação sem graça - a rotina do hospital - uma prosa de gateiras fez o tempo correr mais leve.

2 comentários:

Nana disse...

É assim mesmo!!
Depois que adotei meus gatos conheci mtas pessoas assim e o mais engraçado é que tenho pelo menos 5 paciente que tem gatos

Vivi e Mozart disse...

Que bacana!
Os peludos nos aproximam das pessoas que tb gostam deles!
Bjs, lambidas e mordidas!
Vivi, Mozart e Monalisa