quinta-feira, 17 de julho de 2008

Tudo ao mesmo tempo agora



Difícil escolher a próxima tarefa.

Estou terminando peças de inverno já começadas, nada de deixar pendências para o ano que vem. Principalmente tricô.

As idéias para a "coleção" primavera já estão brotando (!) e como eu penso com as mãos, o material já está ficando em cima da mesa.

Para poder rir do meu próprio ridículo, resolvi inventariar o que tinha só sobre a mesa de trabalho:

1 trabalho de tricô

3 caixas de pedras para biju

2 tecidos para a primavera

1 novelo de linha

1 colar para consertar

1 colar para terminar

2 potes de tinta

1 luminária quebrada

1 caixa de agulhas

2 porta-lápis (cheios)

papéis de rascunho

1 tubo de hidratante

agenda

1 pote com recortes de feltro que vão virar colar

1 tesoura

3 potes com "idéias" (material que vai virar colar)

Melhor voltar lá e arrumar isso tudo.

domingo, 6 de julho de 2008

A multiplicação do afeto

Compreendo agora todas as minhas amigas Gateiras Juramentadas. É impossível amar um só.

Ele ficou porque tinha de viver conosco, eu precisava apenas de alguém que me dissesse em palavras o que eu sentia.
Meu Mestre Jedi sentenciou: "Esse gato é seu".
Assumi finalmente que não queria que ele fosse embora.

Depois de uma interminável procura por um nome, escolhi o óbvio ronronante: MEL.
Dá pra entender só de olhar. E quando ele "fala", o som é isso mesmo: mew, maw, món...

terça-feira, 1 de julho de 2008