domingo, 6 de julho de 2008

A multiplicação do afeto

Compreendo agora todas as minhas amigas Gateiras Juramentadas. É impossível amar um só.

Ele ficou porque tinha de viver conosco, eu precisava apenas de alguém que me dissesse em palavras o que eu sentia.
Meu Mestre Jedi sentenciou: "Esse gato é seu".
Assumi finalmente que não queria que ele fosse embora.

Depois de uma interminável procura por um nome, escolhi o óbvio ronronante: MEL.
Dá pra entender só de olhar. E quando ele "fala", o som é isso mesmo: mew, maw, món...

8 comentários:

Cláudia disse...

Olha, os gatos sentem quando as pessoas gostam deles....e o destino contribui tb.... juntando os dois é só maravilha.... era para vc estar na escola naquele dia e naquela hora...ele já estava esperando por vc!
bjinhos pro Mel e para o Sir. Willy tb (senão fica com ciúme!);)

Lina Gatolina disse...

sabe o que é mais curioso?
naquele dia, eu tinha assistido um filme com o Filho, e uma menina encontrava um gatinho amarelo perdido. Qdo vimos o Mel na escola, dissemos:olha o gato do filme!!!

Gata Lili disse...

concordo com vocês. não foi coincidência. era para ser assim...

Maria Amália Camargo disse...

Ah, eu imaginava... Eles são irresistíveis!
Parabéns pelo novo membro da família; fico contente que ele tenha ficado por aí!
Beijos!

Silvia disse...

Oi LinaGatolina!
você quer participar da brincadeira das meninas? eu indiquei seu nome lá no gatofru... passa lá pra ver!
bjos!

Gatum disse...

Olá! Fuçando en outros blogs descobrí o seu!
Lindo seu nov filho, por isso é muito arriscado ter temporários em casa, o amor nunca é temporário...
Bjs
Fernanda Iuspa

Gatum disse...

Olá!
Convidei você para uma brincadeirinha. Veja as regras lá no blog e participe! Vamos ver onde isso vai dar...
Bjo

Fernanda Iuspa

Beatriz Levischi disse...

Finalmente eu conheci o Mel! :)