segunda-feira, 19 de maio de 2008

Uma ótima vendedora

Não costumo frequentar Pet-shops. Não gosto do cheiro das lojas, de ver os animais à venda expostos em gaiolas, me irrito com a sinfonia de latidos.
A ração do Willy é comprada no supermercado mesmo, junto com a comida da família.
Mas, outro dia, eu queria comprar ração para filhotes (uma história pra depois) e entrei numa loja que achei no caminho.
Era uma loja como todas, gaiolas, latidos, mas não tinha aquele cheiro insuportável, estava bem ventilada.
Procurei a seção "Gatos", que normalmente ocupa apenas 10% da loja. Num cantinho lá no fundo estavam as rações, os arranhadores e... a vendedora mais simpática que eu já conheci.
Uma gata preta, de olhos amarelos, usando coleira vermelha veio me saudar com uma cabeçada sincera, que imediatamente me fez abaixar pra puxar assunto.
E ficamos ali "conversando", até que o Marido e o Filho entraram também e ela foi recebê-los com a mesma simpatia.
Seu nome é Nêga, ela mora lá e deve ser o xodó de todos os frequentadores do estabelecimento.
O Marido achou que ela parecia mascote do Botafogo, a Pantera.
O Filho achou que tinha os olhos amarelos do Anakin Skywalker.
Quanto mais atenção ela recebia, com mais carinho retribuía. Uma Lady.
Não dava vontade de se despedir.

Na próxima vez que eu for lá (é claro que eu vou voltar!) pretendo levar a câmera para trazer uma lembrança daquela fofura.
Esta foto de hoje é só um parente distante, mas muito parecido.

3 comentários:

Gata Lili disse...

Mamãe também já viu uma gatinha linda num pet shop. Elafoi comprar remedinho pra mim e viu a gatinha. Depois eu perguntei porque ela não trouxe a gatinha pra casa e brincar comigo. Mas ela disse que a gatinha era da dona da loja...

Felina Família disse...

Oi, moça!
Vi nos comments do Gatoca que você mora em Ribeirão Preto!!!
Vou mudar praí no mês que vem, eu e a Felina Família.
Beijos!

ana sinhana disse...

Marido tá aqui do lado dizendo que a parente distante parece mesmo mascote do Botinha!
E eu te digo que é bom ter alguém pra me solidarizar nos momentos de obssessão-futebolística marital. Aliás, ontem à noite o clima por aqui foi fúnebre: marido e filho mais velho foram até Santa Bárbara e voltaram xingando um tal de Roberto Fonseca, conhece?
Beijos tricolores,
Ana